Spread the love

O tempo seco e as temperaturas elevadas colocaram o Distrito Federal em atento vermelho-do-cafeeiro. Devido a passagem de uma onda de calor — que tirou com que a temperatura média do DF para a época (28°C) subisse 5°C por um tempo maior que cinco dias —, o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu citação para o ameaça de morte causada por hipertermia — no momento em que a temperatura do corpo sobe além dos 40°C, o que pode casar a saúde e provocar à quebradeira dos órgãos. A suposição é de que o clima quente perdure até sexta-feira e, no final de semana, espera-se ocorrência de chuvas.

Outrora, a temperatura princípio atingiu 35,1°C, em Águas Emendadas, em Planaltina, ou seja, 7°C acima da média. A umidade ocasional do ar ficou em 14% (mínima). A Disposição Mundial da Saúde (OMS) frisa que o ideal é que a umidade esteja em, ao menos, 60%. Para hoje, a princípio precisa alcançar a 36°C e a mínima a 20°C.

De acordo com Francisco de Assis, meteorologista do Inmet, o atento vermelho-do-cafeeiro foi publicado em consequência da capital federal extrapolar o repartição médio de 28°C contabilizado nos últimos 30 anos. “A resultado do calor na região possui correlação com a alta variabilidade climática ao longo esse tempo do ano. Há um inibição atmosférico bastante grande, entre a Argentina e o Rio Grande do Sul, que impossibilita a passagem da frente fria”, explica.

Além do Distrito Federal, Capoeira Vultoso, Goiás e Tocantins são capazes de ser atingidos pelas temperaturas de 40ºC.

Ameaça

O pneumologista e formador da Bens de Medicina da Faculdade de Brasília (UnB) Ricardo Luiz de Melo explica que os casos de morte associados a onda de calor não são comuns, porém é necessário estar em atento. A hipertermia, de acordo com ele, está ligada ao crescimento da temperatura do corpo e apresenta perigo de morte. “ No momento em que a temperatura do corpo atinge 41°C, é a momento de buscar um hospital para se nevar, uma vez que há um nível alto de desidratação. Frequentemente, isto acontece em clima de vago, e Brasília possui este clima. Estamos tendo um constante crescimento de temperaturas e isto é tenso ”, destaca.

O médico elenca alguns afazeres fundamentais para evitar o crescimento exagerado da temperatura do corpo. De acordo com ele, crianças e idosos precisam preservar a atenção redobrada, uma vez que se desidratam facilmente. “ Não basta somente ingerir água. É necessário julgar nos sais minerais, nas vitaminas, que são capazes de ser localizados nos sucos de frutas, por exemplo. A umidade do ar está baixíssima e, de modo consequente, a indivíduo transpira bastante, especialmente os sais. Por isso, para recolher é necessário consumir frutas, legumes e verdura ”, orienta.

O formador explica que, em casos mais graves, a indivíduo é levada a unidades de saúde, no qual passa por alguns procedimentos para o esfriamento do corpo. “ Evidencia muitas atitudes hospitalares. Uma delas é colocar o paciente no gelo ou dentro da água. É fundamental reforçar que cabe à indivíduo cuidar de si mesma para evitar situações como essas. Evitar saídas desnecessárias, se ventilar em casa colocando bacias de água ou ligando o umidificador são algumas dicas”, afirma.

Ao Portador, o subsecretário da Intervenção Civil, coronel Alan Araújo, sublinha que os afazeres precisam ser tomados para dificultar uma aumenta na requisito de saúde. “É constantemente bom focalizar nas atitudes de prevenção, como por exemplo, evitar se exercitar entre 10h e 16h, visto que este é o horário em que a insolação está mais incisiva no DF. Buscar um tipo de proteção, seja guarda-sol ou uma camisa de manga, de forma que crie uma dificuldade em oposição a o Luz, e preservar uma refeição rápido, regada a base de frutas, como banana e pera, que possui mais água ”, resume.

Refresco

Leonardo Martins, 32 anos, trabalha como condutor de transporte por aplicativo e, outrora, atendeu a uma cliente no Paranoá com destino a São Sebastião. Entre uma corrida e outra, o condutor aproveitou para se ventilar na Prainha do Lagoa Norte com a filha, Lavínia Martins, de 5 anos. “O calor aparecia demais. E, agora, com essa pandemia, não podemos pregar o ar-condicionado, apenas deixar os vidros do automóvel abertos. Porém, mesmo dessa maneira, não basta. Está bastante seco e o ar não entra”, reclama. A jovem gostou do volta e não demorou bastante para entrar na água. “ Está bastante quente, porém o lagoa está bom ”, disse ela.

Há aqueles que aproveitam o movimento dos brasilienses na Prainha para trabalhar, como é o caso de Amanda Ferreira, 23, e Marconi Lopes, 24. O casal resolveu vender dindin para complementar a renda da casa. “ Frequentemente, chegamos aqui por volta de 13h, é uma momento em que o luz está ardendo, e apenas saímos às 18h. Sabemos que é um tempo bem quente, porém tentamos ingerir os devidos afazeres, como mudar amigo e resultar a garrafinha de água ”, explica a jovem.

De ábdito, o casal Grazielle Alves, 34, e Allan Cardoso, 27, se divertia no meio do lagoa. Os 2 deram uma vagar na cotidiano para raspar-se das temperaturas elevadas. “ De modo algum vi dias tão quentes como esse no DF. É necessário ventilar para quantidade vencer ”, argumenta o motoboy.

Duas perguntas para

Carlos Henrique Regato Lima, formador e coordenador do Programa de Pós-Graduação em Tecnologia Ambiental e Recursos Hídricos da Faculdade de Brasília (UnB)

O que pode estar influenciando o crescimento das temperaturas no DF?

Historicamente, essa é a época do ano ( meio de setembro e início de outubro) mais quente, aqui, em virtude, especialmente, da forte intensidade da radiação fazenda sobre a região. Porém, o próprio entusiasmo integral contribui para as temperaturas mais altas ( acima da média histórica) que possuimos praticado nos últimos dias.

Há qualquer maneira de a indivíduos ajudar para a redução da temperatura?

Pensando na colaboração da indivíduos, poderíamos avaliar atitudes que reduzam o resultado das chamadas ilhas de calor. Por exemplo, reforçar o gleba de árvores ( de modo consequente diminuir o desmatamento e as queimadas, que similarmente afetam muito o clima ) e diminuir a queima de combustíveis fósseis ( andança mais a pé, de magrela e etc). No médio tempo, poderíamos julgar no utilização de materiais distintos na construção civil e nos pavimentos, e em um melhor coordenação do utilização do solo. Porém, essas secundinas atitudes já dependem similarmente do quantidade público.

Recordes

Temperaturas mais altas registradas nos últimos 10 anos no DF:

1º — 37.3ºC ( Águas Emendadas), em 15 de outubro de 2017

2º — 37.1ºC ( Águas Emendadas), em 28 de outubro de 2008

3º — 37ºC ( Águas Emendadas), em 22 de outubro de 2015

4º — 36.7ºC ( Série ), em 15 de outubro de 2017

5º — 36.5ºC ( Série ), em 18 de outubro de 2015

6º — 36.2ºC ( Águas Emendadas), em 25 de setembro de 2015

7º — 36.2ºC ( Águas Emendadas), em 21 de setembro de 2019

8º — 36.2ºC ( Série ), em 20 de outubro de 2015

9º — 36.2ºC ( Águas Emendadas), em 18 de outubro de 2015

Sugestões

Confira orientações da Intervenção Civil para lenir os efeitos do calor

» Ingerir, ao menos, seis copos de água por dia

» Pingar duas gotas de soro fisiológico em cada narina

» Ter toalhas molhadas e bacias com água nos quartos da casa

» Utilizar moda leves e, se possível, de algodão

» Evitar a queima de lixo e entulho

» Colocar chapéus e óculos escuros para proteger-se do Luz

» Usufruir o vapor fabricado pela água ao longo o banho para lubrificar as narinas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

You may also like